Bem pessoal, ano novo chegando por ai…   Gestão 2011-2012 em seus últimos momentos, gostaria de aproveitar para agradecer ao nosso presidente PP5AX.
Mesmo dispondo de pouco tempo,em função de suas atividades em sua empresa, quando convidado a compor a chapa, aceitou de pronto.
Foi sincero e avisou que não estaria tão presente quanto o clube necessitava, mas que estava a disposto a “entrar na empreitada”.

Sua confiança depositada na equipe,fundamental para realizarmos os trabalhos do qual o clube necessitava.
Deixou sua “marca” na reforma e ampliação da casa do caseiro, na ativação de nossa repetidora de UHF.
Segundo informações de PP5HQ, o clube até então não possuía equipamentos próprios para 146.820.
Equipamentos foram comprados, outros doados e hoje o clube possui 02 repetidoras com equipamentos próprios .
Nosso Shack foi novamente colocado em plena atividade (para quem não lembra, no final de 2010 o clube estava com suas antenas desmontadas e rádios desligados).
Com o comprometimento de todos que se engajaram, (cada um a sua maneira e de acordo com suas possibilidades), nosso clube está certamente melhor.
Não poderia deixar de agradecer a todos os demais membros da diretoria, aos associados e amigos que fizeram e fazem o CRAJE ser cada vez melhor.

Um feliz 2013 a todos!

PU5BRA, Rinaldo

        Na noite de Quarta Feira (19/12/2012) durante mais um encontro dos sócios e amigos do CRAJE, o clube recebeu uma doação do Sócio radioamador PP5HQ, Ezequiel. Trata-se de um rádio VHF para ser utilizado como reposição na repetidora 146.820.

        O Clube agradece ao PP5HQ pela contribuição. Em nome da diretoria nosso muito obrigado Sr. Ezequiel.

Postado por PU5FJM

Nó ultimo sábado (15/12/12) foi feito mais uma força tarefa entre alguns sócios e apoiadores do Clube para dar continuidade na manutenção do telhado que está com muitas goteiras. Aos poucos o telhado vai sendo recuperado, mas devido o estado  conservação, muitas folhas de fibrocimento não podem ser aproveitadas.

Obrigado a todos que mais uma vez colaboraram para manutenção do Clube, afinal, quem faz o clube melhor somos todos nós.


           O CRAJE foi homenageado na noite de Quinta Feira (13/12/12) pela família do Sr. Joel Cândido Espíndola pelo apoio que os radioamadores deram ao GRM e Bombeiros Militares nas operações de busca e resgate do Sr. Joel que ficou Quatro dias perdido no castelo dos bugres na semana passada. Uma placa de agradecimento foi entregue ao Vice presidente eleito Sr. Arlindo Rossi durante a reunião da AJM que ocorria no Clube. A família do Sr. Joel também forneceu uma maca MAMUTE ao GRM para apoio nos próximos resgates e também uma placa de agradecimento.
O gerente de Proteção Civil Sr. Milton Farikoski esteve nas reuniões dos grupos entregando um certificado de agradecimento aos grupos e voluntários que se dedicaram nas buscas e resgate do Sr. Joel. Os certificados foram fornecidos ao GRM e voluntários, CRAJE e AJM e empresas e órgãos apoiadores.
Trabalho voluntários sendo reconhecido


              O Clube de Radioamadores de Joinville deu apoio nas operações de busca e salvamento do Sr. Joel que se perdeu na região do Castelo dos Bugres no dia 02 de Dezembro. A operação de resgate envolveu Bombeiros Militares, Voluntários do GRM – Grupo de Resgate em Montanhas de Joinville, AJM – Associação Joinvilense de Montanhismo, GERAR de Jaraguá do Sul entre outros voluntários. 

                 A repetidora do CRAJE 146.820 foi usada durante os 4 dias em apoio nas comunicações entre as equipes de resgate. O Sócio Radioamador Blaidior Ramos – PU5BLA participou de toda operação de busca e resgate, montando uma base de comunicação para apoio aos Bombeiros e voluntários e passava todas informações via rádio para a comunidade. 

Obrigado ao Radioamador PU5BLA pelo empenho e dedicação. Obrigado a todos os radioamadores por respeitarem a frequência e terem deixado a mesma desocupada para apoio nesse resgate.

PU5BLA em apoio no resgate.

Base de comunicação montada no Castelo dos Bugres
Base de comunicação montada no Castelo dos Bugres

Base de comunicação montada no Castelo dos Bugres
Voluntários do GRM se integram as equipes dos Bombeiros para auxiliar no resgate.

Radioamador e Voluntário do GRM Tiago Murilo Mafra

Grupos de resgate com o Sr. Joel.
Comandante dos Bombeiros agradece o empenho de todos pela operação de buscas.


Aprendizado, grandes amizades e boas lembranças é que o vão levar consigo os jovens que participaram do Programa Eco Cidadão, da Secretaria de Assistência Social da Prefeitura de Joinville. Nesta terça-feira (04/12) aconteceu o encerramento das atividades e 22 adolescentes receberam os certificados. O evento aconteceu na sede do Clube de Radioamadores de Joinville (Craje).

Duas turmas participaram da formatura, que contou com a presença de representantes da Secretaria de Assistência Social, dos parceiros do Eco Cidadão, familiares e amigos dos formandos.
Durante a cerimônia, os jovens puderam compartilhar suas experiências dentro do Programa e relataram o que mais gostaram dos quatro meses de convivência. O adolescente João Paulo Souza Domingos da Silva, conta que além de aproveitar os passeios e as aventuras, ele também aprendeu sobre valores como responsabilidade e respeito ao próximo. “Eu gostei muito, conheci novos lugares e aprendi muitas coisas. Fiz novos amigos e essas amizades eu espero manter para o resto da vida“, relatou o estudante.

O Programa Eco Cidadão proporciona aos jovens o exercício da cidadania e da consciência ambiental, através de atividades que estimulam a convivência e o trabalho em equipe. Eles participam de passeios, palestras, desenvolvem trabalhos pedagógicos e esportivos. Além de receberem os certificados, os adolescentes também levaram para casa uma camiseta com a marca do Eco Cidadão e um kit natalino, com roupas, calçados e material escolar.

“Este Programa tem uma importância significativa, porque trabalha com o conceito de cidadania e promove a transformação na vida destes jovens. Tem um aproveitamento positivo para os adolescentes, para a família e para a sociedade“, relatou Francisco João de Paula, coordenador de Proteção Básica da Secretaria de Assistência Social. O Eco Cidadão é realizado em parceria com o Instituto de Trânsito e Transporte de Joinville (Ittran), Associação dos Servidores Públicos de Joinville, Fundação de Esportes e Lazer de Joinville (Felej) e CRAJE – Clube de Radioamadores de Joinville.

Alunos, familiares, autoridades no momento da formatura

Sr. Osny – Vice Presidente fez uma fala representando o CRAJE

Fonte e créditos das Fotos:  Secretaria de Assistência Social de Joinville
Mayara Pabst – Assessora de Imprensa

No último sábado a noite (01/12/2012) os sócios do Clube de Radioamadores em conjunto com o GRM – Grupo de Resgate em Montanhas e convidados, realizaram nas dependências do clube a confraternização de final de ano.

O evento contou com mais de 50 pessoas que além de um bom bate papo também degustaram um excelente jantar por adesão.

Parabéns aos sócios, membros do GRM e amigos que compareceram, pois dessa forma estão auxiliando a manutenção do Clube.

Obrigado pela participação de todos.

PU5ARL – Arlindo Rossi, churrasqueiro oficial do evento.

Cristal de PU5ARL, PU5BRA e PU5BLA preparando acompanhamentos para o churrasco.


Jantar servido

Sócios e amigos saboreando um excelente jantar.

O Clube ficou lotado para confraternização.

Momento de trocar uns QSO’s.

PU5ETM, PU5HRA e suas cristais.

PU5ETM, PU5FJM e PU5HRA

Amigos do GRM participando da confraternização.

Amigos do GRM participando da confraternização.

Sócios e cristais confraternizando.

PP5ZZ – Diretor de radioamadorismo e PP5AIM – Atual Vice Presidente agradecendo a presença dos participantes.

Agradecimento pela presença e apresentação do Novo presidente e vice.

PU5BLA
DJ

Gabriela Rossi, filha diçãe PU5ARL que deram grande contribuição para realização do evento.

Mais fotos da confraternização podem ser vistas clicando AQUI

Usar o artesanato para gerar renda entre empreendedores de baixa renda que não têm acesso a crédito e precisam aprender sobre gestão são características predominantes de boa parte de empreendimentos sociais em São Paulo. Esse perfil foi revelado nesta terça-feira (27/11) na apresentação da pesquisa Negócios Sociais Comunitários, realizada pela Aliança Empreendedora em parceria com a Artemísia.

O levantamento foi feito com 21 organizações sediadas na Grande São Paulo. Suas áreas de atuação predominantes são artesanato (25%), alimentação (18%), recolhimento de materiais recicláveis (14%), reciclagem (12%) e serviços (14%). A maior parte delas (32%) segue princípios de economia solidária, 25% praticam comércio justo e 21% se definem como negócios sociais.

Geração de renda é o foco da maioria absoluta (14) dos entrevistados – educação (5), ambiente (4) e cultura (4) são as outras preocupações mais citadas. Apesar disso, 24% delas não sabem precisar o incremento de renda dos empreendedores apoiados. “Isso demonstra um gargalo nas ferramentas de avaliação, que devem melhorar esse aspecto”, comenta Cristina Filizzola, 33 anos, coordenadora geral do escritório da Aliança Empreendedora em São Paulo. Entre as que responderam, 36% afirmam que o aumento da renda foi de mais de 150%, e 18%, de 100% a 150%.

Ainda no campo das finanças, a pesquisa comprova a dificuldade de microempreendedores para ter acesso a crédito. Nenhum tipo de recurso foi emprestado a 39% deles – e ninguém afirma ter investido economias próprias para empreender. Microcrédito foi usado por 17% dos entrevistados, enquanto 11% recorreram a grandes bancos. A maioria (60%) obtém recursos de seu próprio empreendimento.

A maior dificuldade relatada pelos empreendedores é a gestão do negócio. Esse também é o foco do apoio dado às organizações: 21% delas dão consultoria de formação e gestão de negócios, 16% ajudam nas vendas, 14%, no design gráfico e 12% na área contábil.

A maioria das organizações apoia grupos pequenos de empreendedores (48% delas atendem de 1 a 50, e 14%, de 51 a 100). As pessoas atendidas em geral (65%) são analfabetas ou completaram apenas o ensino fundamental.

Fonte: Pequenas Empresas & Grandes Negócios

Apesar da cautela e da retração geral nas atividades globais de fusões e aquisições, provocadas pela incerteza e a volatilidade do mercado financeiro, cada setor da economia apresentou um desempenho diversificado, registrando altos e baixos, na 1ª Edição do Relatório Global de Avaliação de M&A (Merger and Aquisition) da American Appraisal – empresa especializada e líder mundial em opinião de valor e avaliação de ativos e negócios.

O setor de Tecnologia, Mídia e Telecom, por exemplo, foi o que mais registrou aumento de transações, de acordo com o relatório da consultoria, realizado em parceria com a Mergermarket, a partir de pesquisas e análises de mais de 25 mil dados coletados em transações registradas em 28 países.

O estudo cita ainda conclusões valiosas sobre cada setor obtidas pela American Appraisal no contato in loco com seus clientes, além do panorama geral de setores como Energia, Mineração e Utilidades; Indústria e Área Química; Consumo; Tecnologia, Mídia e Telecom; Serviços Financeiros; e o setor Farmacêutico, Médico e Biotecnológico. Confira abaixo os resultados do estudo por setor:

 

Tecnologia, Mídia e Telecom (TMT)

A American Appraisal viu esse setor ofuscar os demais, devido às inovações tecnológicas em curso e o crescimento de certos segmentos, como mídias sociais. O Facebook e o Skype são dois exemplos de empresas cuja valorização causou alvoroço no mercado. Estes fatores propiciaram um ambiente de competição feroz entre os compradores na corrida para adquirir um ativo com grande potencial de retorno.

Os últimos meses presenciaram também quantias altas sendo pagas por ativos que ainda não geraram um único dólar de receita. É o caso do Instagram, que, com zero de receita, foi comprado pelo Facebook por US$ 1 bilhão. O estudo revela que temores de outra bolha de tecnologia são comuns perante ações deste tipo, já que os compradores têm aprendido duras lições do passado e estão cada vez mais minuciosos na compra de ativos de tecnologia. No entanto, estas ações não os impedem de fazerem apostas elevadas em ativos com alta projeção de lucro.

Dados do relatório mostram que a média dos múltiplos de EBITDA em TMT quase dobrou em 2011 na comparação com 2010. Isto se deve em parte às projeções elevadas de crescimento de receita – média de 48% – nas empresas para as quais a American Appraisal trabalhou durante a pesquisa. Estes dados refletem a resistência do setor perante a redução global de M&A que atingiu a maioria dos outros setores.

Energia, Mineração e Utilidades

O setor resistiu bem à queda nos preços das commodities, registrando aumento de múltiplos de EBITDA em 2011. Isto se deve parcialmente a investimentos estratégicos feitos por empresas no crescente mercado de óleo e gás na América do Norte.

A média da taxa interna de retorno de 14% sinaliza que os compradores ainda esperam retornos atrativos para este setor no futuro. De acordo com o estudo, é um sinal positivo que esta taxa esteja mantida em uma posição firme, até mais do que as avaliações dos ativos, que podem ter sido inflacionados por um apetite crescente por recursos naturais em mercados emergentes.

Infelizmente, no primeiro semestre de 2012, o estudo verificou o impacto da volatilidade dos preços das commodities no setor, o que sinaliza uma expectativa de queda das valorizações médias do setor em médio prazo. Compradores têm se queixado da lentidão de alguns mercados, particularmente na Rússia e nos estados vizinhos que outrora formaram a União Soviética. Enquanto isso, no Oriente Médio, o medo de uma possível interrupção no fornecimento de produtos, como os barris de petróleo, continua mais vivo do que nunca. Estes fatores, de acordo com o estudo, serão determinantes para medição das valorizações dos ativos deste setor no futuro.

Farmacêutico, Médico e Biotecnológico

O setor registrou um aumento de mais de 20% na média dos múltiplos de EBITDA em relação ao ano anterior. Por outro lado, teve a maior queda de taxa interna de retorno: de 20,8% em 2010 para 12,3% em 2011. Enquanto este dado fornece apenas uma pista do que se passa neste mercado, ele vem de encontro às expectativas gerais de taxas reduzidas de retorno esperadas pelas empresas farmacêuticas, uma vez que remédios de sucesso são cada vez mais escassos. Este declínio diz algo sobre a ampla divergência de avaliações de ativos deste setor entre, por exemplo, o alto retorno de ativos biotecnológicos e os ativos de escala maior dos fabricantes genéricos que possuem margens mais apertadas.

Neste cenário, a American Appraisal tem auxiliado seus clientes a harmonizarem os relatórios financeiros e estratégias fiscais, através de uma grande diversidade de ferramentas para que os interessados em investir neste setor tenham maior segurança de onde estão pisando.

Consumo

No setor de consumo, especialmente na Ásia, empresas estão ansiosamente dispostas a pagar preços altos por companhias que irão se beneficiar da demografia favorável da região num futuro próximo. Projeções de crescimento das economias asiáticas tem sido um ponto focal para as empresas do Ocidente e a forte competição destas por ativos asiáticos influenciará para cima o preço destes ativos.

Um dos maiores desafios deste setor atualmente, segundo o estudo, é a amplitude de sinais contraditórios que o mercado pode apresentar. Por exemplo, após a Austrália ter relatado, inicialmente, um fraco desempenho do seu mercado consumidor, uma nova onda de consumismo contribuiu para o País registrar crescimento de 4,3% em sua economia. Dados da American Appraisal confirmam que algumas taxas internas de retorno mais atraentes foram encontradas justamente no setor de consumo na Austrália. Um dos motores deste desempenho é o setor de mineração australiano que floresceu por meio de exportações, principalmente para a China. Isto ajudou o País a manter os níveis de emprego e impulsionar os gastos dos consumidores.

Para o segundo semestre de 2012 são esperadas mais transações de M&A neste setor, principalmente nos mercados emergentes. Empresas, cada vez mais, vão se expandir por meio de linhas de produtos que satisfaçam a demanda do consumidor e isto pode levar os compradores de empresas a adquirirem marcas já existentes e com boa cadeia de distribuição.

Serviços Financeiros

De acordo com o estudo, este é o setor que sofrerá mais impacto devido às reformas regulatórias em curso nas principais economias do mundo (particularmente na Europa e EUA), o que pode significar custos correntes substanciais e pressão adicional nas margens de lucro dos ativos deste setor.

Apesar das implicações negativas destas expectativas, as taxas médias de crescimento dos ativos ainda permanecem saudáveis. Isto explica, de alguma forma, o fato de que a contração de margem antecipada não está dissuadindo os compradores de fazer aquisições.

Um dos motores por traz da recuperação geral de valores dos ativos está nos esforços das empresas em quitar seus débitos e criar novas reservas de dinheiro. Segundo o estudo, isto pode ser notado em quase todos os setores nos quais a American Appraisal atua. Uma das grandes mudanças ocorreu justamente no setor de serviços financeiros, onde a média do débito para o total do capital caiu de 17% para 11% entre 2010 e 2011.

Esforços para reduzir as dívidas no setor continuarão a aumentar as ações de desinvestimento em alguns ativos, particularmente na Europa se a crise piorar. Contudo, ao procurar por ativos saudáveis, os compradores devem se precaver para não deixarem de comprar um ativo apenas por causa de sua seu possível alto grau de endividamento. De acordo com o estudo, uma estrutura de capital eficiente também inclui certa quantidade de débitos e comprar um ativo com uma perspectiva atrativa de crescimento ou com potencial de forte sinergia pode fazer com que o ativo com seus débitos valham à pena. Compradores que não se importam em assumir negócios com dívidas terão acesso a mais ampla variedade de ativos disponíveis.

Indústria e Área Química

Nos últimos dois anos, a proximidade entre as taxas médias de crescimento de cinco anos de EBITDA e de receita no setor Industrial e de empresas químicas sugerem que outros benefícios, além das sinergias, estão impulsionando as transações de M&A do setor.

A média dos múltiplos de EBITDA do setor, contudo, ficou basicamente no mesmo patamar entre 2010 e 2011, enquanto a maioria dos outros setores teve um ligeiro aumento. Isto reflete a desaceleração que o setor está enfrentando globalmente. Se a confiança das empresas deste setor diminuir um pouco mais, então táticas de corte de custos deverão voltar à tona e o M&A será parte fundamental nisso. Com o aumento dos desinvestimentos e a venda de ativos não essenciais, valorizações médias do setor podem cair.

Sobre a American Appraisal
Líder mundial em serviços de opinião de valor e assessoria relacionada à avaliação, a American Appraisal é reconhecida internacionalmente por sua elevada expertise na elaboração de laudos e análises para operações de aquisições e fusões, investimentos em participações, start-ups, além de avaliações para atendimento à legislação fiscal, contábil, societária, entre outras demandas. Fundada em 1896, a American Appraisal conta com mais de 1.000 colaboradores independentes, em mais de 50 escritórios localizados nos principais centros econômicos do mundo, os quais estão familiarizados com os desafios particulares dos diversos setores que atendem – bens de consumo, instituições de ensino, energia e recursos naturais, setor público e governamental, saúde, industrial, de tecnologia, entre outros. No Brasil, em pouco mais de três anos de operação, a American Appraisal já se posiciona como uma das maiores especialistas em serviços de avaliação com diferentes graus de complexidade A consultoria atua nas áreas de Financial Advisory Services, Fixed Asset Valuation, Fixed Asset Management e Real Estate Advisory.

Fonte: http://www.empresasvale.com.br/noticias/Setor_de_tecnologia_lidera_aumento_de_fusoes_e_aquisicoes-5446